Buenos Aires: primeiras impressões


Tenho o hábito de pesquisar bastante sobre as cidades que vou visitar. Normalmente, analiso bem as atrações e o clima e tento descobrir algumas curiosidades sobre os costumes locais. Mas com Buenos Aires não foi assim! Como estou no início de um mochilão de 3 meses pela Argentina e pelo Chile, eram muitos destinos para pesquisar e, então, resolvi vir de cabeça aberta, meio no escuro mesmo, sem esperar muito.

Após 1 semana e meia turistando por aqui, estou curtindo bastante a cidade e reuni algumas informações gerais - úteis para quem planeja vir pra cá ou para quem torce o nariz sem nem saber como é a capital argentina.

Cara de Europa!

A Argentina foi colonizada pelos espanhóis e Buenos Aires, particularmente, recebeu muitos imigrantes de várias regiões europeias ao longo dos anos. Essas pessoas trouxeram muito da sua cultura para cá, construindo edifícios, ruas, sistemas de transporte, óperas e cafés aos moldes europeus. Assim, aqui é comum passar por um prédio italiano, visitar uma basílica judia, sentar para tomar um café em uma cafeteria com a cara de Paris e relaxar em uma praça inglesa.

Falando em praça, aqui há muitas delas, assim como parques grandes e ruas arborizadas, que dão um charme especial à cidade.
Uma rua desconhecida próxima à Feirinha de San Telmo.
A maior parte das ruas de Buenos Aires são asfaltadas e mais largas, diferente dessa, mas outros bairros são assim como nessa foto :)

Além dessa parte mais visual, os argentinos também herdaram alguns hábitos saudáveis de seus expatriados. As feiras são um deles: há feirinhas de antiguidades, livros, comidas e tantas outras, que ocorrem com uma certa periodicidade. Também observei que por aqui os locais costumam ir à ópera, espetáculos musicais, teatrais e ao cinema.

Se você sempre quis conhecer a Europa e ainda não pode cruzar o oceano, fica a dica de Buenos Aires! Aqui dá pra ter um bom gostinho do Velho Mundo :)

Para não dizer que falei só as coisas boas, se tem algo feio que encontrei foram piches. Isso me lembrou São Paulo, pois a pichação é intensa e está presente em muitos bairros. Alguns são piches mesmo, protestando contra o governo e tal, mas também há belos grafites.

Transporte em Buenos Aires

É bom e barato! Isso excluindo os táxis, que não sei dizer como são porque não precisei usar.

Os metrôs são excelentes. Pelo menos nas linhas que usei, eles passam com um intervalo de uns 5 minutos, são conservados, confortáveis e custam apenas 4,50 pesos - com a cotação atual em torno de R$1 = 3,6 pesos, sai por R$1,25. O único problema é que o sistema de metrô não inclui alguns bairros mais afastados da área central, o que pode ser um incômodo para quem se hospeda em algum deles. Em compensação, no Centro há tantas estações que dá para parar bem em frente aos principais pontos turísticos.
Estação Rio de Janeiro no metrô de Buenos Aires

Os ônibus são muito eficientes e atendem todas as áreas onde o metrô não chega. Gostei que eles fazem longos trajetos - mais de uma hora - de forma direta, sem precisarmos ficar integrando. A tarifa é um pouco mais alta do que a do metrô e varia de acordo com o seu percurso, que deve ser informado assim que você entra no ônibus. O mínimo que já paguei, mesmo para distâncias curtas, foi 6 pesos.

Também tem as Ecobicis! São bicicletas que podemos pegar emprestadas gratuitamente, 24h por dia, 7 dias por semana. Genial, né?! Principalmente considerando que há, sim, muitas ciclovias pela cidade. Para utilizar, é preciso se cadastrar online antes, verifique aqui as informações de Ecobici para turistas - tem até instruções em português.

Segurança

Como toda cidade grande, Buenos Aires tem algumas regiões perigosas e não é aconselhável que você dê bobeira com os seus pertences.

Já me aconselharam a não passear pelo bairro La Boca, por exemplo, até tarde. E por isso ainda não fiz o passeio Caminito, que fica por lá. Mas assaltos, que são o que mais me preocupa, não me pareceram comuns. De forma geral, não tive nenhum problema e me senti mais segura aqui do que na minha cidade natal (Floripa).

Alimentação

Carnes, massas, queijos, vinhos e muito sorvete são os queridinhos dos pratos argentinos. As empanadas são super populares e estão por toda a parte mesmo. Em qualquer esquina você vai encontrar pelo menos uma pizzaria, sorveteria ou cafeteria grande e bonita. E esses estabelecimentos ficam abertos até tarde, inclusive as sorveterias durante o inverno. Outro dia voltei de uma "balada de tango" às 3 da manhã e lá estavam as pessoas tranquilamente tomando um cafezinho acompanhado de bolo.

Se você gosta de tudo isso que falei, só fique animado se estiver com um orçamento bem folgado, pois os preços são salgados. Só mesmo procurando bastante para conseguir uma refeição simples por menos de 100 pesos (R$28). A maioria vai além, mas bem além dos 150, isso para restaurantes medianos.

Vegetarianos ovo-lacto (que comem ovos, leite e derivados) até que se dão bem por aqui. Há boas opções de comidas sem carne. Já para os veganos (que não comem nada de origem animal), o cenário é mais restrito, pois praticamente tudo vai ovo ou leite, nem que seja só na massa. No entanto, dando aquela olhadinha básica no Google Maps antes, é possível se planejar e comer pratos típicos em restaurantes veganos.
Resultados de uma busca rápida por "Restaurantes veganos" no Google Maps.
Vale lembrar que há outras alternativas que não aparecem aí!

Clima

O clima de Buenos Aires possui as estações do ano bem definidas. Confira as temperaturas mínimas e máximas e a média de chuva durante o ano:

Tabela climatológica que encontrei no Guia Viagem

Como estou passando o final de outono/início de inverno aqui, vou falar mais dessa época. Em quase duas semanas, só choveu uma vez e apenas até metade da tarde. Todos os demais dias foram lindamente ensolarados. O clima é tão seco que a toalha de banho seca da noite para o dia inclusive dentro do guarda-roupa!

Dias ensolarados, no entanto, não significam dias quentes. Mesmo sendo do sul do Brasil e já estando acostumada com o frio, me surpreendi aqui. O inverno ainda nem chegou, mas luvas, cachecol e touca já me acompanham diariamente. Para maio, a temperatura tem ficando na casa dos 12 -13 graus.

O bom é que a cidade está bem adaptada ao frio: mesmo os apartamentos mais antigos possuem torneiras aquecidas e sistema de aquecimento nos cômodos. Nos ônibus tem até um aviso de proibido abrir as janelas em dias frios.

Para mais informações sobre as outras estações, sugiro dar uma olhada nesse artigo do Brasileiros por Buenos Aires. Está bem interessante, descrevendo o clima mês a mês e dando dicas para você saber o que levar na mala.

Argentinos são mal educados ou têm, de fato, rixa com os brasileiros?

Eu e meu marido achamos os portenhos - moradores de Buenos Aires, que recebem esse apelido por causa do porto - super gentis com os turistas. Sempre quando precisamos, fomos ajudados de maneira atenciosa e cordial. Além disso, todas as vezes que dissemos que éramos brasileiros, continuamos recebendo um tratamento bem amigável. Para mim, essa tal rixa está mais na cabeça dos brasileiros do que na dos nossos hermanos.

E o tango?

O tango em Buenos Aires conquistou seu espaço, mesmo! Mais do que um simples espetáculo para turista ver, a dança faz parte da cultura popular e é praticada por muitos portenhos. Assim como nós brasileiros saímos para dançar em alguma balada, o pessoal por aqui vai a lugares específicos para bailar tango.

Claro que a indústria do turismo usa isso de forma a ganhar o máximo de dinheiro possível. Os espetáculos de tango que você encontrará mais facilmente terão preços exorbitantes. A boa notícia é que não é necessário pagar caro para ver o autêntico tango argentino. Claro que você pode assistir essas apresentações sofisticadas se quiser e puder, mas existem outras opções. Como comentei antes, há locais específicos onde os argentinos vão para dançar tango à noite e também rolam danças a céu aberto em algumas feiras e praças - mas não é sempre, tem que pesquisar.
Foto da Catedral do Tango, lugar bem underground onde fiz uma aula de tango seguida pela "balada de tango" que comentei antes. Foi uma das experiências mais legais que tive na cidade!

Por enquanto é isso, mas já fiz uma listinha de vários outros posts que ainda quero escrever sobre Buenos Aires :)

Um abração e boas viagens para nós!

Artigos relacionados a essa postagem:
Mochilão no Chile: quanto custa essa aventura

Se você curte os artigos do Mundo de Viajante, cadastre-se aqui para receber os próximos posts no seu e-mail. É gratuito e eu prometo que nunca enviarei nenhum spam!

Para não perder nenhum conteúdo, acompanhe-nos também pelo Twitter e Facebook.
Compartilhe no Google Plus

Sobre Mayumi Tsuruyama

Me formei em Administração por adorar o universo empresarial. Mas também sou freelancer e blogueira, por amor ao mundo e à liberdade. Encaro todas as viagens que já fiz e ainda farei como trajetos de uma viagem maior, que é a vida. Seja como turista, estudante, trabalhadora ou mochileira, viajar me completa. E eu ainda tô longe dos 100%!
    Comentar via Blogger
    Comentar via Facebook

4 comentários:

  1. Olá amiga!!
    Excelente artigo. Conheço Buenos Aires e tenho o mesmo pensamento que você, eles (portenhos) são muito legais, me senti muito bem. Penso que a rixa é mais por causa do futebol. E saindo de Buenos Aires, então…é mais maravilhoso ainda.
    Dica: Se não conheces ainda, vale uma visitinha na feira de San Telmo, imperdível, bem como Caminito.
    Desejo-lhe uma super viagem e aguardo seus novos artigos. Admiro seu trabalho.
    abraço
    Janete Scalco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Janete!

      Muito obrigada pelo elogio e pelas dicas :) O Caminito estava faltando quando escrevi esse post, mas agora já fiz. Vou visitar outras cidades Argentinas, sim! E são tantas opções lindas que não consegui escolher ainda hehe. Depois vou contando tudo aqui!

      Fico muito feliz em saber que você acompanha o meu trabalho. Obrigada mesmo <3

      Um beijo!

      Excluir
  2. Olá, estou com uma viagem marcada para BA em Janeiro. Gostaria de mais informações sobre locais onde comer bem e barato. Será que pode me ajudar? Caso possa ser encaminhado essas dicas por email jean.tici@gmail.com.

    Att, Ticiane

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ticiane! Vou responder aqui mesmo porque fica melhor para outros leitores com a mesma dúvida também terem acesso à resposta ;)

      Sobre restaurantes, preciso dizer primeiro que não conheci muitos em BsAs porque fiquei hospedada por AirBnb em apês que tinham cozinha, então cozinhei bastante porque gosto da minha comida e de economizar hehe. Aliás, essa é uma dica que sempre dou pra quem quer economizar! Mas claro que é gostoso conhecer restaurantes também... dos que fui, recomendo esses dois que gostei bastante porque a comida é uma delícia e eles são bem baratos comparado com a média de preços das refeições em BsAs:

      1. Konu: https://www.facebook.com/KonuBar Endereço: Rua Tte. Gral. Juan Domingo Perón, 1319 - fica pelo Centro, entre o Congreso, Av. 9 de Julio e o Teatro Colón. Funciona para almoço, café da tarde e jantar.

      2. La Casona Vegana: https://www.facebook.com/CasonaVegana/ Endereço: Rua Ángel Justiniano Carranza, 1979 - fica entre os bairros Palermo e Colegiales e a estação de metrô mais próxima é a Ministro Carranza. Se não me engano, está aberto só para o jantar. A entrada parece uma casa normal com um portão branco e precisa apertar a campainha pra entrar. É meio roots, mas gostei bastante :)

      Esses restaurantes são completamente veganos (não usam nenhum ingrediente de origem animal em seus pratos). Só posso indicar restaurantes veganos em Buenos Aires porque é o tipo de comida que como, mas recomendo mesmo pra quem come carne, leite e derivados, porque a comida é realmente uma delícia. Garanto que vc não vai se arrepender de experimentar!

      Espero ter ajudado. Um abraço e boa viagem!

      Excluir

O que achou do artigo? É sempre gostoso ler as opiniões e contribuições de quem passa por aqui!
Se tiver alguma dúvida, leia a Política de comentários do Mundo de Viajante.