Dicas para San Andrés


Como se não bastasse ser linda e cheia de atrativos, San Andrés é onde o Caribe torna-se financeiramente acessível para os meros mortais. Esse já é o segundo post que escrevo sobre esse destino. Se você ainda não leu o primeiro, sugiro começar por aqui.

Antes de fazer essa viagem, pesquisei bastante e não consegui encontrar várias informações que busquei. Além disso, muitas coisas que encontrei estavam desatualizadas e repetidas. Para evitar que mais gente tenha a mesma dificuldade, e também para incentivar você a conhecer esse lugar fascinante, listei aqui todas as dicas para San Andrés que você vai precisar.
Dicas para San Andres
Playa Peatonal, também conhecida como Spratt Bight. É a praia do Centro de San Andrés.

PRÉ-VIAGEM

  • Vacina da febre amarela: NÃO foi necessária, não pediram em nenhum momento para mim nem para o pessoal que viajou comigo. Mesmo assim, se tiver com tempo, é legal fazer e deixar o certificado internacional de vacinação em mãos. Outros países pedem e, cedo ou tarde, você pode precisar. Vale lembrar que essa vacina é válida por 10 anos e precisa ser tomada em até 10 dias antes da viagem, no caso dos países que a exigem. Mais infos sobre isso aqui nesse link do site da Anvisa.
  • Câmbio e onde trocar dinheiro: a moeda lá é o COP, o peso colombiano. Aqui em Floripa, o COP não é uma moeda muito fácil de achar, encontrei somente na Confidence Câmbio. A melhor cotação que consegui foi R$1 = COP 662 e ainda tinha que encomendar para o dinheiro ser trazido de São Paulo. Como não sabia disso e deixei pra comprar no mesmo dia da viagem, tive que deixar para comprar só no aeroporto de Bogotá. Lá nesse aeroporto há três casas de câmbio, uma logo ao lado de onde se pega as malas e outras duas em um corredor onde você passará tanto para conexões quanto para sair do aeroporto. Na primeira casa de câmbio estava R$1 = COP 600, na outra R$1 = COP 650 e, na última, R$1 comprava uns COP 590 e poucos. Encontrei essas cotações no dia 6 de junho de 2015. Meu namorado viajou por Cartágena no mesmo período e conseguiu cotação de COP 690 por real nas casas de câmbio da cidade. No aeroporto de San Andrés há uma casa de câmbio e a cotação lá estava R$1 = COP 600. É bem ruim, mas é bom saber que tem, para o caso de alguma emergência.
  • Passaporte: tinha pesquisado no Google que não era necessário, mas preferi não arriscar e levei o meu. Fui solicitada a mostrar o passaporte diversas vezes durante a viagem, mas não sei dizer se o RG já serviria.
  • Visto: não é necessário nenhum visto para brasileiros entrarem na Colômbia.
  • Quando ir: a temperatura é meio estável o ano inteiro, o que varia mais é a possibilidade de chuvas. Fiquei 12 dias entre San Andrés e a Ilha de Providência em junho e, apesar do calor, peguei vários dias nublados e com uma chuvinha :( A viagem foi ótima mesmo assim, mas achei que o tempo atrapalhou para fazer mergulho com cilindro, que é ideal com bastante sol por conta da maior visibilidade... Essa tabelinha que achei no Goldtrip pode ser útil:
Tabela clima em San Andres
Clima anual em San Andrés

Além do clima, considere também a temporada turística. Um dono de pousada nos falou que julho e agosto são os meses de maior lotação, sendo difícil conseguir hospedagem nesse período. Sabendo da grande demanda, as pousadas e hotéis começam a aumentar os preços das diárias em meados de junho e voltam a baixar em setembro. Fuja desses meses não só pela grana, mas também para não ter que dividir todas as praias e passeios com centenas de turistas.


NA VIAGEM

  • O que fazer: há muito o que fazer por lá! Tanto que fiz um post especialmente para esse tópico. Confira os melhores passeios turísticos de San Andrés aqui, tudo bem detalhado com fotos, preços, horários e tudo o mais que você precisa saber.
  • Quantos dias ficar: claro que depende de quais passeios você vai querer fazer. Se for para participar de todas as atrações principais, sem dias sobrando para ter uma margem de segurança, aconselharia no mínimo 4 dias completos. No tópico "o que fazer", mais abaixo, listei os passeios turísticos mais famosos e quanto tempo leva cada um deles. 
  • Cartão de turismo: é solicitado tanto para chegar quanto para sair de San Andrés. Caso deseje visitar a ilha de Providência, esse cartão também será requerido na entrada e na saída da ilha. Portanto, guarde-o com bastante cuidado durante toda a viagem! O cartão de turismo é, na verdade, um formulário, que você compra e preenche para comprovar que pagou a taxa de turismo. Pode ser comprado no aeroporto de Bogotá, junto à sua companhia aérea. O preço varia (de cia para cia) entre 48.000 e 50.000 COPs. IMPORTANTE: na chegada em San Andrés não há onde comprar o cartão de última hora, então não esqueça de comprar antes de voar para lá.
Cartão de turismo San Andres
Cartão de turismo de San Andrés

  • Hospedagem
Localização: apesar de estar longe de ser uma cidade grande, San Andrés não é tão pequena assim. Há uma praia que fica no centro da cidade, a Playa Peatonal ou Spratt Bight. É dali que saem os tours para todos os passeios e é onde se concentram os hotéis e restaurantes. Se quiser ficar perto de tudo, fique ali. Mas eu fiquei no bairro San Luis, próximo à praia Rocky Cay, e adorei! O centro é uma muvuca e eu achava bem gostoso chegar na tranquilidade da minha pousada depois de um dia cansativo (ficar revezando entre água e areia também cansa, gente! haha). Além da tranquilidade, também tinha a opção de caminhar apenas 5 minutos para chegar a uma praia lindona. E, óbvio, como uma boa viajante pão dura, sei que ao sair do centro o preço da estadia baixa. O único inconveniente era chegar antes das 9h lá na Spratt Bight para fazer algum tour, mas dava pra pegar um ônibus por apenas COP 1.800, que chegava em uns 10 mins. Táxis e mototáxis também estão sempre passando.

Recomendação de pousada: quem procura privacidade, conforto, tranquilidade e economia, super recomendo a Posada Nativa Taylor Peterson. Conseguimos um quarto para 3 pessoas por apenas COP 80.000 por noite. O quarto era equipado com ar condicionado e frigobar e tinha uma porta direto para o banheiro, que era compartilhado apenas com o quarto do lado. Não tem café da manhã, mas tem uma cozinha completa, uns cafés à disposição dos hóspedes (você mesmo prepara) e um mercadinho logo na esquina, que é simples mas quebra um galho.
Pousada Nativa Taylor Peterson
Posada Nativa Taylor Peterson

Como essa pousada não estava disponível para toda a minha estadia na cidade, também fiquei no Hostel Sheylla's Place. Esse eu não indico pra ninguém: sem ar condicionado (e era quente!), sem frigobar e o quarto era minúsculo. Pra ajudar, a parede era apenas uma divisória de madeira, fazendo com que a gente ouvisse tudinho que os outros hóspedes conversavam. Falando em outros hóspedes, o banheiro estava sempre ocupado, já que era compartilhado por quatro quartos. Pagamos COP 75.000 por noite por um quarto para casal nesse hostel.

Mais um detalhe: essas duas hospedagens não tinham água quente no chuveiro. Acho que só os hotéis ou pousadas mais caras devem oferecer isso... Na verdade, água quente não faz muita falta naquele calor, mas confesso que foi uma surpresa não muito boa na hora do primeiro banho.

  • Transporte: é muito fácil se locomover na ilha. O ônibus tem um preço bem acessível (COP 1800), funciona desde cedinho da manhã até as 20:45h e o motorista para onde você pedir. Há muitos lugares para alugar carrinhos de golf (a partir de COP 70.000, retirando às 9h e devolvendo até as 18h), motos (COP 70.000 - 80.000) e bicicletas (não cheguei a ver o preço). Fora essas opções, há táxis e mototáxis passando toda hora. O aeroporto é bem pertinho do centro, algumas pessoas nos disseram que dava até para ir a pé!
ônibus San Andres
Ônibus de San Andrés: era divertido para nos misturarmos aos locais.

  • Alimentação: confesso que foi uma saga conseguir me alimentar bem em San Andrés. Lógico que sou suspeita em opinar nesse tópico pois não como carnes e, definitivamente, lá não é um bom lugar para vegetarianos. Mesmo assim, era tudo muito gorduroso e caro. A maioria dos pratos em restaurantes comuns custavam a partir de COP 20.000. Já as lanchonetes serviam muitos snacks que lembravam salgadinhos de terminal de ônibus, que estão há várias horas naquelas estufas, sabe?
Empanadas colombianas
Empanadas, um salgadinho típico na Colômbia e em outros países da América do Sul.
A massa parecia ser de polenta e os recheios variavam entre queijo, carne e frango. Até que era gostosinha, mas imagino que fritinha na hora deva ser completamente diferente.

Para quem curte visitar supermercados e cozinhar mesmo quando está viajando, as notícias também não são muito animadoras. Lá há muitos mercadinhos com poucas variedades de alimentos. Depois de muito procurar, encontrei o Supertodo, que era o mais próximo de um supermercado do jeito que conhecemos. Mesmo lá, uma cebola custava uns R$2 - note que falei UMA cebola e não um quilo!
Supertodo supermercado San Andres
Supertodo, o supermercado principal de San Andrés

  • Como ir para a Ilha de Providência e Santa Catalina: como tenho muita coisa pra falar sobre como ir e o que fazer nessas ilhas, fiz um post especialmente para elas aqui.


Eram essas as dicas que eu tinha pra dar. Espero ter ajudado! Se ficou com alguma dúvida ou se tem alguma dica para contribuir, fique à vontade para participar nos comentários.

Abraços e até o próximo destino!


Artigos relacionados a essa postagem:
San Andrés: o Caribe colombiano
Providência e Santa Catalina: as vizinhas de San Andrés
Que tipo de viajante você é?


Se você curte os artigos do Mundo de Viajante, cadastre-se aqui para receber os próximos posts no seu e-mail. É gratuito e eu prometo que nunca enviarei nenhum spam!

Para não perder nenhum conteúdo, acompanhe-nos também pelo Twitter e Facebook.
Compartilhe no Google Plus

Sobre Mundo de Viajante

Me formei em Administração por adorar o universo empresarial. Mas também sou freelancer e blogueira, por amor ao mundo e à liberdade. Encaro todas as viagens que já fiz e ainda farei como trajetos de uma viagem maior, que é a vida. Seja como turista, estudante, trabalhadora ou mochileira, viajar me completa. E eu ainda tô longe dos 100%!
    Comentar via Blogger
    Comentar via Facebook

10 comentários:

  1. Respostas
    1. Muito obrigada pelo feedback, Karl! Espero poder continuar produzindo conteúdo interessante pra você e te ver em outras postagens também ;)

      Grande abraço!

      Excluir
  2. Olá Mayumi, vou para San Andres na prox semana.

    Você sabe me dizer se estão trocando Real por COP nas casas de câmbio da Ilha ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Na época que eu fui (junho desse ano) estavam trocando sim, inclusive tinha uma casa de câmbio bem no aeroporto. Falei mais detalhes sobre isso em "Câmbio e onde trocar dinheiro", na parte "Pré-viagem" desse post.

      Uma excelente viagem pra vc em San Andrés!

      Excluir
  3. Parabens pelo blog!!! Estou indo viajar com meu marido para Cartagena por 8 dias em março: chego sexta de manhã e volto na outra sexta a tarde Gostariamos de dividir a viagem para San Andres, Providencia e Cartagena - o que vc me sugere? Quanto em cada lugar? Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, muito obrigada :)

      Hmm acho que em 8 dias fica bem apertado. Eu sugiro que vocês visitem apenas Cartagena e San Andrés, para poderem curtir os dois lugares com calma e sem perder muito tempo com deslocamento. Como vocês chegam de manhã em Cartagena, o ideal seria encaixar um voo ainda no mesmo dia direto pra San Andrés, deixando pra curtir Cartagena na volta (também para não arriscar horários de voos muito apertados no dia do retorno ao Brasil). Nesse caso, dedicaria um pouquinho mais de tempo para San Andrés do que para Cartagena.

      Porém, se vocês não abrirem mão de visitar os três destinos, eu dividiria as 7 noites assim: San Andrés (3), Providência (2) e Cartagena (2).

      Uma ótima viagem pra vocês! Beijão e obrigada pela visita!

      Excluir
    2. Valeu!! Obrigada pelas dicas!! Só mais uma pergunta: tem como ir de Providencia para cartagena ou tem que voltar para san Andres?
      Bjao!

      Excluir
    3. Hmm até onde eu sei, pra chegar e sair de Providência, só passando por San Andrés mesmo. Acabei de conferir no site da Satena, que foi a empresa aérea que usei para ir para Providência, e eles não tem voos de lá para Cartagena direto :(

      Outro beijo pra vc!

      Excluir
  4. Voce disse que não come carne, então eu que não como peixe , frutos do mar e etc...to ferrado. Ouvi dizer que tem subway lá, vou passar uns 10 dias comendo lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sérgio! Acho que tem Subway lá, sim. Mas tenta dar uma olhada em restaurantes pequenos porque às vezes eles adaptam pratos, substituindo carnes e frutos do mar por outras opções. Assim vc tem a chance de comer algo diferente, mais local, sem precisar ficar só no fast food. Lembro que fui em um restaurante bem pequeno perto do Supertodo e o meu prato "especial" saiu até mais barato do que era no cardápio :)

      Excluir

O que achou do artigo? É sempre gostoso ler as opiniões e contribuições de quem passa por aqui!
Se tiver alguma dúvida, leia a Política de comentários do Mundo de Viajante.