Mochilão no Chile: quanto custa essa aventura


Quem acompanha o Mundo de Viajante sabe que viajar barato é uma das minhas prioridades. Se for pra um lugar cheio de belezas naturais então, melhor ainda! É por isso que um mochilão no Chile não tinha como se encaixar melhor por aqui :) Mas quem fez esse mochilão não fui eu, foi a Jacqueline, que está participando da Comunidade MdV essa semana. Entre aventuras e belíssimas paisagens, confira o relato dela e comece a fazer as suas malas para o Chile...

Em janeiro de 2015 fui ao Chile e fiz um mochilão de 16 dias por lá. Conheci Santiago, Pucón, San Pedro de Atacama, Viña Del Mar e Valparaíso. Irei comentar com vocês um pouquinho sobre essa inesquecível viagem (a propósito, dou minha palavra que nunca irão se arrepender de conhecer o Chile. Lugar lindo e inesquecível).
Pucón Chile
A charmosa Pucón

Cheguei cedo e comecei por Santiago, onde desembarquei e passei o dia. Não fiz reserva em hotel algum nesse dia, pois pretendia ir até a rodoviária pegar um ônibus para Pucón. Então deixei minha mochila no guarda-volumes da rodoviária, comprei a passagem  para Pucón para a noite e fui descobrir Santiago.


O metrô é muito funcional e me impressionou a agilidade e eficácia. Sou de Belo Horizonte e nosso metrô tem muito o que evoluir ainda! Andei meio que sem destino mesmo pois depois passaria uns dias em Santiago, ao final da viagem.

Pucón

Quando foi anoitecendo (e lá custa a anoitecer), voltei à rodoviária. Seriam aproximadamente 11 horas de viagem até Pucón, por isso preferi a passagem noturna para poder dormir a noite toda. Foi bem tranquila a viagem e a região dos lagos é maravilhosa. Meu objetivo nesta viagem era subir o vulcão Villarica.

A cidade é bem pequenininha, com avisos de atividade vulcânica e bem acolhedora, principalmente para casais! Cheguei ao hotel reservado louca por um banho! Depois disso, saí pela rua principal procurando alguma empresa de turismo que fazia a subida ao Vulcão. Havia lido muito na internet sobre isso e já sabia algumas que deveria procurar. Escolhi uma mais em conta - custou em torno de R$ 800,00 com a roupa especial e equipamentos da subida, geralmente é o preço médio de lá - chamada Informaciones y Servicios Turisticos e marquei para a manhã seguinte, pois ficaria apenas 3 dias lá. Uma parte subimos de teleférico pago à parte na hora, aproximadamente R$ 20,00. Compensa, porque economiza tempo e energia.

Chegando à base do vulcão, a altura dele assusta muito, e já começamos a sentir a altitude. E pessoal, serei sincera: não é fácil subir não!! Além da altitude, as pernas doem muito, o sol é muito forte (use protetor solar e beba muita água!) e cada um tem um condicionamento físico. Mas cada trecho é inesquecível e a chegada ao topo é sensacional! Todas as vezes que pensei em desistir foram recompensadas... a vista lá de cima é indescritível! Ah, e na descida usamos um “esquibunda”, que é uma plaquinha de plástico acoplada na roupa. Sentamos para descer a parte nevada do vulcão, junto com o martelinho que ajudou a subir, para ganhar velocidade ou frear. É lindo e emocionante. Os mais ousados e treinados podem descer esquiando, mas como era minha estreia na neve, não ousei.
Subida do Vulcão Villarica Chile
Subida do Vulcão Villarica
Topo do Vulcão Villarica Chile
Topo do Vulcão Villarica


No dia seguinte voltei à noite para Santiago. De lá, iria para o Calama e depois San Pedro de Atacama, num voo mais tarde. Mais um dia andando em Santiago enquanto não chegava a hora do voo.

San Pedro de Atacama

Desci em Calama e contratei lá mesmo no aeroporto o serviço de transfer para San Pedro de Atacama, já garantindo a volta. O vôo foi bem rápido, pouco menos de duas horas. De ônibus seriam mais de dois dias, então nem pensei duas vezes.

Existem várias empresas de turismo lá. Coincidências a parte ou não, a primeira que me abordou se chama Lickan Antay, cujo agente de turismo é um brasileiro, chamado Nino. Ele é muito simpático, e facilita muito a comunicação com o pessoal. Inclusive, pode pechinchar um pouco dizendo ser do Brasil que dá certo!! Todos os meus passeios deram em torno de R$ 500,00: Valle de La Luna, Geisers Del Tatio e Lagunas (também conhecidas como Salar de Tara). Pra quem fizer tours diferentes, pode sair um pouco mais caro ou mais barato. E claro, depende da época - confira todos os preços atualizados para agosto/2016.

Tudo que eu disser do deserto será pouco. Pelas fotos, vocês podem perceber como tudo lá é lindo, os cenários são diversificados e parece que tem uma montagem no fundo, de tão irreal que é! Todos os passeios que o tempo (e o dinheiro) permitir, serão pouco em vista da grandeza deste lugar. Recomendo demais mesmo. Acho que depois da subida ao vulcão, foi o segundo lugar que mais me marcou até hoje.
Estrada no Atacama Chile
Estrada no Atacama
Valle de La Luna San Pedro de Atacama Chile
Valle de La Luna (Vale da Lua)
Geisers del Tatio San Pedro de Atacama Chile
Geisers del Tatio

Lagunas San Pedro de Atacama Chile
Laguna / Salar de Tara: essa água tem uma concentração de sal enorme, maior do que a do Mar Morto! Ou seja, se você entrar ali, não vai conseguir afundar :)

Para quem quiser ousar ainda mais, existe um vilarejo indígena nas imediações chamado Machuca, onde o pessoal ainda mantém os costumes bem tradicionais e tudo é muito “interiorano”, eu diria. Formam-se filas para comer churrasquinho de Lhama, mas eu não arrisquei.
Machuca San Pedro de Atacama Chile
Machuca

Fiquei 3 dias no deserto e fiz todos os passeios que pude nestes dias. No primeiro dia passei muito mal por conta da altitude e da falta de umidade do ar, mas aos poucos fui me acostumando e hidratando bem, para amenizar os efeitos.

Viña Del Mar e Valparaíso

Retornei de transfer para o aeroporto de Calama (bem pequenininho, mas super limpo) e voltei para Santiago. De lá, fui novamente à rodoviária e peguei um ônibus para Viña Del Mar, a famosa cidade litorânea com cassino e toda a agitação que é peculiar. Claro que me arrisquei no cassino e perdi uns Pesos Chilenos, mas valeu a pena! Não conhecia nenhum cassino antes, e tudo era novidade para mim!
Viña del Mar Chile
Viña del Mar

Aproveitei e peguei o metrô em Viña no dia seguinte cedo para conhecer Valparaíso. Queria muito conhecer o colorido dessa cidade e La Sebastiana de Pablo Neruda. Não gostei muito da cidade, achei bem suja e mal tratada... parecia esquecida! Mas a vista do Oceano Pacífico da casa do Neruda é maravilhosa, daí entendi o porquê de ele ter sido tão apaixonado por essa casa.

Finalmente, Santiago

Voltei para Santiago dois dias e meio depois de chegar em Viña. Aí sim fui descobrir a cidade. Sou apaixonada por souvenirs e claro que fui à caça de vários e vários vinhos nos mercados, mas não cheguei a conhecer nenhuma vinícola nesse passeio. Andei muito de metrô e para coroar o mochilão, fui ao show do Foo Fighters!! Imagine a cena, um show maravilhoso com as cordilheiras de cenário!
Santiago Chile
Santiago

Ao todo, nessa viagem eu gastei com passagens aéreas (compradas com 3 meses de antecedência), passagens rodoviárias, hospedagens, passeios, souvenirs e alimentação em torno de R$ 2.500,00. E olha que eu trouxe vinhos e lembranças a todos de casa! Dica: Aproveitei uma promoção de passagem aérea que sempre tá tendo de Guarulhos à Santiago por R$ 375 ida e volta. A passagem para Calama, saindo de Santiago, também foi nessa faixa de preço. Como tive companhia na época, gastos com hospedagem e alimentação foram divididos.

Fui embora prometendo a mim mesma voltar num futuro próximo, pois ainda quero descobrir muita coisa no Chile e explorar mais Santiago! E claro, conhecer as vinícolas e um pouco mais da diversificada cultura desse país tão acolhedor!

Rua em San Pedro de Atacama Chile
Mais um cenário pitoresco de San Pedro de Atacama
Pedra do Coyote San Pedro de Atacama
Vista da Pedra do Coyote, no Atacama
Flamingos Chile
Flamingos


Sobre a Jacqueline
Sou uma professora sonhadora que adora viajar. Descobri que amo essa vida de aeroporto há pouco tempo atrás, quando comecei a ter que viajar a trabalho e percebi que essa rotina muito me agradava. Minha primeira viagem internacional foi para Cuba, em julho de 2014. A partir daí, em todas as minhas férias tento viajar e conhecer um destino diferente.


Abraços e boas viagens para nós!

Artigos relacionados a essa postagem:
Uma volta de Kombi pela América do Sul
Mochilão na Argentina e no Chile: resumão de 3 meses de descobertas pela América do Sul
Guia de San Pedro de Atacama

Se você curte os artigos do Mundo de Viajante, cadastre-se aqui para receber os próximos posts no seu e-mail. É gratuito e eu prometo que nunca enviarei nenhum spam!

Para não perder nenhum conteúdo além dos posts, acompanhe-nos também pelo Twitter e Facebook.
Compartilhe no Google Plus

Sobre Mayumi Tsuruyama

Me formei em Administração por adorar o universo empresarial. Mas também sou freelancer e blogueira, por amor ao mundo e à liberdade. Encaro todas as viagens que já fiz e ainda farei como trajetos de uma viagem maior, que é a vida. Seja como turista, estudante, trabalhadora ou mochileira, viajar me completa. E eu ainda tô longe dos 100%!
    Comentar via Blogger
    Comentar via Facebook

27 comentários:

  1. Divido com você a emoção de ter conhecido estes lugares fantásticos no Chile. Conheço a Patagonia também. Lindo demais. A minha única frustração é não ter chegado ao topo do Vulcão Vilarica. Faltava 200 metros e o tempo virou,fomos obrigados a voltar. Ainda quero voltar. Parabéns!! E continue viajando. É a melhor coisa do mundoooo! Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena que você não conseguiu concluir a subida do vulcão, Janete. Pelo menos vc aproveitou bastante todo o resto da viagem, né? Quem sabe essa pendência com o vulcão te faz voltar pro Chile em outro momento pra matar as saudades ;)

      Um beijo e obrigada pela visita!

      Excluir
  2. Que SHOOOW!
    Fiz essa viajem, que saudade dela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que delícia! To aqui com água na boca haha, mas o Chile tá na minha lista!

      Obrigada pelo comentário!

      Excluir
  3. Sensacional relato!!!
    Eu sou de Belo Horizonte também, será que não conseguiria um contato com a Jacqueline e pegar umas dicas? Gostei demais da animação dela com a viagem! Tenho viagem marcada pro dia 07/12 (SE DEUS QUISER) kkkkk
    Abraço à todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lucas! Sensacional mesmo, também adorei :D

      Falei com a Jacqueline e ela me autorizou a te passar o contato dela... Pode ser por Twitter? Fala comigo lá (@MundoDeViajante) que eu te passo por DM.

      Um abraço pra você também!

      Excluir
    2. Ei, na verdade já vou passar por aqui mesmo pra facilitar (já que ela autorizou)!
      A conta dela é @jajavital ;)

      Excluir
    3. Olá Mayumi! Muito obrigado pela presteza e pelo apoio.
      É um carinho e atenção que fazem toda diferença, que podemos contar aqui no @MundoDoViajante!
      Muito obrigado novamente, grande abraço! Assim que voltarmos, se Deus quiser dou meu relato à vocês!
      =*

      Excluir
    4. Oi de novo, Lucas. É sempre um prazer poder ajudar, principalmente pessoas gentis como você!

      Fico muito feliz que você sinta essa vibe boa por aqui. Espero poder continuar contribuindo com infos úteis para outras viagens futuras, além dessa do Chile.

      Isso, volta pra contar pra gente como foi!

      Obrigada também pela visita e pelo feedback. Outro abraço pra você! Tenha uma excelente viagem :*

      Excluir
  4. Sensacional relato!!!
    Eu sou de Belo Horizonte também, será que não conseguiria um contato com a Jacqueline e pegar umas dicas? Gostei demais da animação dela com a viagem! Tenho viagem marcada pro dia 07/12 (SE DEUS QUISER) kkkkk
    Abraço à todos!

    Responder

    ResponderExcluir
  5. Boa noite !! Sensacional o post, eu e mais 2 amigas estamos fechando a viagem de 16 dias para o Chile, saindo no dia 25/12 (Natal), retornando por volta de 09/01. Queremos fazer uns trechos bem legais, ligados à natureza.. um amigo comentou que alugam bikes no deserto do Atacama para passear. É isso que queremos! Se alguem tiver mais dicas, postem... um abraço e todos e parabens pelo site! Excelente !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uaaau, Denise... que virada de ano maravilhosa que vocês vão ter, hein?! Amigas, natureza e Chile: não tem como não ser perfeito. Depois conta pra gente se vocês conseguiram as bikes e se fizeram algumas descobertas interessantes que não estejam aqui ;)

      Muitíssimo obrigada pelos elogios, querida. Até mais!

      Excluir
  6. Olá,
    Irei fazer essa viagem com a minha irmã, e gostaríamos muito saber quanto você gastou nessa viagem.

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jaqueline!

      Então, ali no finalzinho do post tem essa informação: "Ao todo, nessa viagem eu gastei com passagens aéreas (compradas com 3 meses de antecedência), passagens rodoviárias, hospedagens, passeios, souvenirs e alimentação em torno de R$ 2.500,00. E olha que eu trouxe vinhos e lembranças a todos de casa! Dica: Aproveitei uma promoção de passagem aérea que sempre tá tendo de Guarulhos à Santiago por R$ 375 ida e volta." Lembrando que foi uma viagem no estilo bem econômico, tá?

      Espero que você e a sua irmã curtam muito o Chile! Um beijo e obrigada pela visita.

      Excluir
  7. Fiquei bem interessada e espero ir logo para o Chile :) , sobre as roupas utilizadas para subir o vulcão, quais são essenciais ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Conversei com a Jacqueline (que fez o passeio) e ela gentilmente passou essa informação pra gente: "Vesti uma calça jeans, uma blusa fina de frio e um agasalho mais forte por cima. Mas o calçado e a roupa própria com capacete e tudo o mais, eles que fornecem, quando fechamos o pacote. Senão você sente calor, porque na subida o sangue esquenta. E não dá pra ficar tirando e colocando roupa... Com essa roupa eu fiquei agradável!" ;)

      Excluir
  8. Fico tão feliz de ver que o post tem tido essa interação tão boa! Mayumi é um amor de pessoa, sempre tão prestativa e educada, e tem essa interação conosco muito próxima (diferente de outros blogs). Me coloco à disposição para ajudar no que eu souber e no que eu puder! Te desejo muito, muito sucesso!! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é que é uma querida, Jacq! <3 Mais uma vez, agradeço muitíssimo a sua disposição pra ajudar o pessoal por aqui comigo. Essa interação com os leitores, pra mim, é a melhor parte de blogar :) Grande beijo pra vc e que possamos falar de novas viagens em breve!

      Excluir
  9. Como assim R$ 2.500,00 reias! :O estarei indo por esses dias e até agora, as programações estão me custando muito mais que isso.. :'( por volta de uns R$ 4.000,00 reais!! e vou passar bem menos dias!! devia ter lido essa matérias antes... mas tudo bem, já que é lindo assim, espero que dê tudo certo!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai que triste essa diferença de preço toda, Gleice. Eles devem ter subido os preços do ano passado pra cá, ou você acabou encontrando empresas um pouco mais caras mesmo... será que não rola uma pechincha? Em todo o caso, se não der mesmo para reduzir os gastos, com certeza o melhor que você tem a fazer é curtir a viagem ao máximo e tentar abstrair os pesos gastos hehe. Aproveita!

      Excluir

  10. Fechou com algum lugar ou foi por conta própria?

    Poderia passar os contatos e lugares que se hospedou?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Taiane. Falei com a Jacqueline e ela me explicou assim: "Foi tudo pelo booking (http://www.booking.com/index.pt-br.html?aid=838766)... Em Santiago foi um apartamento no bairro Providência, que é bem central. Contato direto com a dona. Em Pucón foi um hotel que se chamava Hotel Spa Araucanias. Pucón é mais carinho... No Atacama foram vários porque tava tudo muito cheio, não tinha como reservar para todos os dias o mesmo hostel. Lembro que paguei caro em um que chama Domos Los Abuelos, que prometia ver o céu estrelado do quarto - mas no fim, não teve nada disso Hahaha. Viña e Valparaiso dá pra ir e voltar no mesmo dia, então compensa pegar um apartamento em Santiago pq fica mais em conta. Eu não fiz isso e me arrependi porque em Viña ou é muito luxo ou vc paga caro pro básico mas com preço de luxo. Eu não ficaria mais que um dia em Viña."

      Excluir
  11. Amei o relato. Tô planejando meu mochilão para janeiro. Eu tinha pensado até em ir para o norte (Atacama), mas acabei optando pelo sul - região dos lagos. Vou de Sampa até Santiago de avião, mas o resto da viagem vai ser de ônibus mesmo. Daí para não ficar muito comprida, achei melhor dar uma parada em pucon, mas nao sei se encaro o vulcao nao... eu to totalmente em fora de forma, mas de pensar na beleza aiii aiii... Eu fiz algo semelhante em 2007 em Bariloche, quase morri. Agora aos 51... to pensando ainda. Sou professora também e não deixo de viajar por conta das altas temporadas. E compartilho algumas das minhas aventuras no meu blog maemochileira.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uau... que máximo que vai ser a sua viagem, Linolica! Eu tô na Argentina com uma dúvida similar: norte, com as montanhas coloridas, ou sul, com os lagos. É difícil decidir o que deixar de fora, né?! De qualquer forma, caso você pule o vulcão, Pucon já é um destino lindo por si só. E admiro a sua disposição, espero chegar aos 51 com planos como os seus hehe. Vou passar lá no seu blog também, fiquei super curiosa! Um beijão :*

      Excluir
  12. Amei o relato. Tô planejando meu mochilão para janeiro. Eu tinha pensado até em ir para o norte (Atacama), mas acabei optando pelo sul - região dos lagos. Vou de Sampa até Santiago de avião, mas o resto da viagem vai ser de ônibus mesmo. Daí para não ficar muito comprida, achei melhor dar uma parada em pucon, mas nao sei se encaro o vulcao nao... eu to totalmente em fora de forma, mas de pensar na beleza aiii aiii... Eu fiz algo semelhante em 2007 em Bariloche, quase morri. Agora aos 51... to pensando ainda. Sou professora também e não deixo de viajar por conta das altas temporadas. E compartilho algumas das minhas aventuras no meu blog maemochileira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Olá Mayumi!
    Adorei as dicas e só fez aumentar a vontade de conhecer o Chile!
    Fiquei com algumas dúvidas...
    1) Em que época do ano você foi? Época de neve dificulta a locomoção e esse roteiro?
    2) Para subir o Vulcão Villarica, precisa ter condicionamento físico muito bom ou é só a questão da "respiração" que dificulta? Caso não consiga subir ele todo, qual o procedimento?

    Bjs, Aline

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline! Desculpa pela demora em responder, só consegui agora mesmo.

      O Chile é realmente incrível, tenho certeza que você vai amar. Voltei de lá há pouco tempo e já estou com saudades.

      Falei com a Jacqueline, que foi quem fez essa viagem e escreveu o relato. Ela foi em janeiro de 2015 e respondeu assim sobre as suas perguntas:
      "Não precisa ter um condicionamento de academia, mas eu não arriscaria terminar se não desse conta de chegar bem até a metade. E a única coisa a se fazer é seguir as orientações do guia que vai subir junto, e não fazer nada por conta própria pq eles sabem dos perigos. Falo isso pq eu vi muita gente lá tentando fazer as coisas por conta própria e acabou se perdendo da turma do guia.
      A neve atrapalha pq pesa mais pra subir, mas faz parte! Hahaha"

      Beleza? Espero ter ajudado. Um beijo e boa viagem!

      Excluir

O que achou do artigo? É sempre gostoso ler as opiniões e contribuições de quem passa por aqui!
Se tiver alguma dúvida, leia a Política de comentários do Mundo de Viajante.